Do aclamado estúdio Madhouse (Black Lagoon, Death Note, Paprika), a adaptação do webcomic homônimo de ONE, One-Punch Man cria um universo ironizando todos os shounens, com uma premissa simples, junto de um humor brilhante e uma animação surpreendente.

Saitama, um adulto que está desempregado e desanimado. Seguindo para sua casa após outra entrevista fracassada, encontra o vilão Kanirante, que após comer muitos caranguejos se transformou em um monstro meio caranguejo meio humano. Com uma luta épica, o simples e comum Saitama consegue vencer o monstro, e a adrenalina da batalha cria um novo sentimento, fazendo com que comece seu treinamento em busca de se tornar um herói!

Essa seria uma premissa de um shounen comum, se não fosse pelo fato dessa história ter acontecido três anos antes do ponto em que se passa o anime. Saitama, após essa luta, se empenhou em um treino extremamente pesado, ficando tão forte que agora consegue derrotar qualquer um com apenas um soco.

O ciclo básico de um shounen, que é: O surgimento de um vilão mais forte que o protagonista que o força a aprender novas técnicas para ficar mais forte e assim derrotá-lo. É totalmente quebrado por Saitama, por ele já começar o anime sendo, literalmente, mais forte que qualquer um.

Saitama com seu carisma tão grande quanto sua força consegue manter o anime em um clima ótimo a todo tempo, seja pela sua falta de ânimo em fazer qualquer coisa, lutar contra qualquer monstro fraco, ou ter que terminar uma luta às pressas para não perder a promoção do mercado. Além de seu humor espetacular, o anime tem tempo para mostrar que mesmo o Saitama parecendo não se importar muito com as pessoas ou as cidades, possui o coração de um verdadeiro herói, dando uma camada de personalidade maior para esse careca de capa.

A liberdade que o autor tem em brincar com o gênero é mostrada de todas as formas, e principalmente na criação de personagens, seja vilões altamente toscos, como o Kanirante, até vilões mais clássicos como um gênio do mal que se vê acima de toda humanidade. E isso se expande para os heróis também, como o Genos, o cyborg discípulo de Saitama com toda aura de “shounen” que um personagem pode ter; para o Watchdog Man, que é apresentado como um dos heróis classe S, e que é aparentemente, só um cara dentro de uma roupa de cachorro.

O estúdio conseguiu entregar um anime nível Madhouse de qualidade, fazendo cenas de combate com uma fluidez que deixa qualquer anime de ação com inveja, muitas vezes com belíssimos cenários abertos para dar dimensão de criaturas ou poderes, e a utilização direta de algumas artes do Yusuke Murata, o artista do mangá (remake) torna One-Punch Man uma obra grandiosa também por sua animação.

O estúdio foi bem competente por conseguir fazer a mudança do traço do Saitama do tosco, que é o usual dele, para o traço mais detalhado quando ele fica sério, como ocorre no mangá, essa característica dá um tom a mais para a obra, e deixa o Saitama ainda mais carismático.

Feita pela JAM Project, a ótima Opening (“THE HERO”) consegue passar todo sentimento de batalha e heroísmo que o anime propõe, tocando ela em pontos específicos para elevar esse sentimento dando mais força para a cena. A Ending de Hiroko Moriguchi (“Hoshi yori Saki ni Mitsukete Ageru”) e as outras músicas que tocam de fundo são boas, mas a Opening é tão poderosa, que acaba se sobressaindo muito perante as outras, deixando ela como A música de One-Punch Man.

Outro ponto positivo é a dublagem, a original é muito boa, mas a versão brasileira é épica. Localizando a obra, fazendo várias piadas ‘internas’ brasileiras, num nível tão bom quanto a de Yu Yu Hakusho.

O anime se mantém num ótimo ritmo do começo ao fim, com combates espetaculares, piadas engraçadas, e situações inesperadas, dando um pouco de tudo, mas sempre do melhor possível.

10.0
Nota final

Prós

  • Animação ótima
  • Personagens carismáticos
  • Trilha sonora empolgante
  • Boas piadas
  • Dublagem épica

Contras

    Animação
    10
    Roteiro
    10
    Trilha Sonora
    10
    Personagens
    10

    Veredito final:

    Com uma premissa simples e muita carisma, One-Punch Man consegue cativar aos amantes de shounen por suas lutas, aos odiadores de shounen por sua sátira ao gênero, e até mesmo os não consumidores de animes por sua carisma, fazendo de One-Punch Man uma obra única.